• Em até 6x sem juros no cartão*
0
Seu carrinho está vazio
  • Fragmentos completos
Fragmentos completos
-3%

Fragmentos completos

Ref: 97885732667021
Avalie o Produto
R$ 116,00
Em até 5x sem juros
R$ 119,00
Pix
R$ 112,52
-3%
no PIX
Não sei o meu CEP
Produto indisponível!Podemos avisar você quando estiver disponível?

Descrição do produto

Esta nova tradução de Safo, poetisa lírica grega dos séculos VII-VI a.C., apresenta, em edição bilíngue, a totalidade de seus poemas e fragmentos descobertos até hoje, que vão de textos completos a pedaços de poemas que restaram de antigos pergaminhos. Tal como nas estátuas ou vasos da Antiguidade que chegaram até nós, nestes poemas, a ruína é mais um elemento de sua beleza. A edição inclui ainda um estudo introdutório do tradutor Guilherme Gontijo Flores e uma série de aparatos críticos que fazem desta a edição mais completa e rigorosa de Safo já publicada no Brasil.

Nascida na ilha grega de Lesbos, Safo viveu entre os séculos VII e VI a.C., e a qualidade de sua poesia, elaborada para o canto ao som da lira, fez com que o culto a seu nome permanecesse vivo até os dias de hoje. Como pouco se sabe sobre a vida da poeta, cada época projetou em sua figura suas próprias aspirações, de musa da poesia romântica a ícone do amor livre e da afirmação feminina.

No período helenístico, quase trezentos anos após sua morte, sua obra foi recolhida e organizada em nove livros, cada um segundo uma métrica específica, pelos sábios da Biblioteca de Alexandria, e Safo foi incluída na plêiade dos maiores poetas líricos gregos. Entretanto, todos os livros se perderam, e a obra de Safo só sobreviveu por meio de pedaços de papiros e citações em tratados antigos, além de outros registros esparsos, tendo restado um único poema na íntegra, o chamado “Hino a Afrodite”.

O presente volume, bilíngue, organizado, traduzido, apresentado e anotado por Guilherme Gontijo Flores, poeta, tradutor premiado e professor de Letras Clássicas da UFPR, reúne toda a produção de Safo que se conhece até hoje, incluindo um poema encontrado em 2004 e dois poemas recém-descobertos em 2014. Para isso, o tradutor realizou um trabalho inédito, compilando as contribuições dos maiores especialistas na autora grega, de modo a produzir o conjunto mais completo possível dos fragmentos sáficos ― tudo isso aliado à recriação poética em alto nível de cada pequeno trecho que chegou até nós. O resultado, que incorpora até graficamente as lacunas e os silêncios desse corpus, oferece ao leitor uma visão renovada dessa que é talvez a maior poeta da Antiguidade.

 

SOBRE O AUTOR

Não sabemos praticamente nada sobre Safo, talvez a mais importante poeta da Antiguidade. Ela deve ter vivido na virada dos séculos VII-VI a.C., na ilha grega de Lesbos, próxima à costa da Ásia Menor. Como compositora de poesia mélica, ou lírica, fazia do canto acompanhado da lira a sua arte, talvez vinculada a um grupo de jovens garotas da cidade de Mitilene, capital da ilha. Segundo cronistas antigos, ela teria nascido em Éreso, ou Mitilene, seria filha de Cleís e Escamandro, e teve três irmãos, Caraxo, Eurígio e Lárico, além de uma filha, também chamada Cleís. Caraxo seria mercador, e Lárico, um jovem que libava vinho no pritaneu de Mitilene, função exercida apenas por membros de famílias aristocráticas. É possível que, por divergências políticas, ela tenha se exilado por volta de 590 a.C. na Sicília, possivelmente em Siracusa. Foi contemporânea de Alceu, também de Lesbos, e com ele integrou a plêiade helenística dos nove poetas líricos. Uma tradição posterior, provavelmente fantasiosa, registra que ela morreu ao se atirar de um penhasco em Lêucade, ilha do mar Jônico, por causa do amor não correspondido pelo mitileno Fáon.

Guilherme Gontijo Flores nasceu em Brasília, em 1984. É poeta, tradutor e professor de latim na Universidade Federal do Paraná. Publicou os livros de poesia brasa enganosa (Patuá, 2013), Tróiades (Patuá, 2015, site ), l’azur Blasé (Kotter/Ateliê, 2016), ADUMBRA (Contravento, 2016), Naharia (Kotter, 2017), carvão : : capim (Editora 34, 2018), avessa: áporo-antígona (Cultura e Barbárie/quaseditora, 2020) e Todos os nomes que talvez tivéssemos (Kotter/Patuá, 2020), além do romance História de Joia (Todavia, 2019). Como tradutor, publicou, entre outros: A anatomia da melancolia, de Robert Burton (4 vols., Editora UFPR, 2011-2013, vencedor dos prêmios APCA e Jabuti de tradução), Elegias de Sexto Propércio (Autêntica, 2014, vencedor do Prêmio Paulo Rónai de tradução, da Fundação Biblioteca Nacional), Fragmentos completos de Safo (Editora 34, 2017, vencedor do Prêmio APCA de tradução) e Epigramas de Calímaco (Autêntica, 2019). Foi um dos organizadores da antologia Por que calar nossos amores? Poesia homerótica latina (Autêntica, 2017). É coeditor do blog e revista escamandro: poesia tradução crítica (). Nos últimos anos vem trabalhando com tradução e performance de poesia antiga e participa do grupo Pecora Loca.

Características

Características Gerais

ISBN
9788573266702
Número de Páginas
640
Idioma
Português
Editora
Editora 34
Autor
Safo
Edição
Gênero
Poesia
Acabamento
Capa comum
Ano da Edição
2017
Dimensões
23 x 15.6 x 3.2 cm

Produtos Relacionados

Avaliações do produto

Ei, esse produto ainda não foi avaliado!

Conte para todos o que você achou dele.

Cookies
X

Este site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar navegando, você aceita nossa Política de Privacidade.